Segundo o delegado, além da venda de entorpecente, o local também funcionava como ponto de receptação e venda de objetos de origem ilícita. Foto/PJC

Um casal que atuava com o comércio de entorpecentes próximo ao terminal rodoviário em Colíder (650 km ao Norte) foi preso pela Polícia Judiciária Civil, na terça-feira (04.06), no município. Com o casal, D.E.D. S., 19 e R.S. M., 24, foram apreendidas porções de entorpecentes, sendo os suspeitos autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

De acordo com o delegado, Ruy Guilherme Peral da Silva, as investigações para apurar a conduta do casal estavam em andamento há algum tempo, uma vez que eles estavam sempre em companhia de usuários e após diversas denúncias anônimas sobre o funcionamento do ponto de venda de drogas, em uma quitinete alugada pelos suspeitos, na região Central de Colíder.

Continua depois da publicidade

Em monitoramento do local, os policiais constataram uma movimentação atípica de pessoas, assim como o vai e vêm dos investigados, da casa ao terminal rodoviário, para entrega de produtos ilícitos.

Diante das evidências, os policiais realizaram a abordagem dos suspeitos que autorizaram a entrada na casa, onde foram apreendidas seis porções de pasta base de cocaína, dentro de uma bolsa e duas porções de maconha em uma mochila, todas já embaladas para venda, além de R$ 54 em dinheiro e objetos possivelmente produto de roubo/furto.

Continua depois da publicidade

Segundo o delegado, além da venda de entorpecente, o local também funcionava como ponto de receptação e venda de objetos de origem ilícita. “No local era realizada a mercância de drogas, sendo vendida a R$ 10 a pedra de pasta base de cocaína, e também o comércio de objetos furtados/roubados que eram levados por usuários em troca de drogas”, disse o delegado.

Os jovens foram conduzidos a Delegacia de Colíder, onde após interrogados foi lavrado o flagrante pelo crime de tráfico de drogas e associação para o tráfico. O delegado representou pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva dos suspeitos, visando cessar a reiteração da conduta do casal na prática ilícita.

DEIXE UMA RESPOSTA

O Canaã Notícias agradece se você deixar o seu comentário.
Ops! Faltou o seu nome!